terça-feira, 18 de março de 2008

Carta a um amor recente.

Não faz muito tempo que você chegou e plantou um jardim por aqui.
Algumas flores ainda estão nascendo, outras porém
já desabrocharam e perfuma todo o lugar.
Hoje ao ter visto sua foto naquele caderno de anotações, sentir que estava na hora de te agradecer.
Agradecer por ter segurado minha mão e ter dito de uma maneira sutil que eu precisava mais uma vez ter fé no amor, por ao ter me abraçado sentir que eu necessitava de um porto seguro. Sabe aquela noite em que eu não conseguir parar de chorar, que eu fiquei sem saber pra onde ir e você se manteve ao meu lado? Quero te agradecer por ela também.

Eu pude voltar a sentir que uma semana não tem
apenas sete dias quando se está longe de quem se gosta.
É, não faz muito tempo que você chegou...
Juro que me sentir um pouco assustada, procurei retaguarda, mas teu jeito decidido me livrou do medo.
Você sabia que me queria e mesmo sem muito o que dizer, eu te queria também.
Obrigada por ter despertado minha ingenuidade clássica em teus braços e por trazer no meu íntimo a certeza de que pela frente vem coisas boas.

4 comentários:

dbaskt disse...

Só pra deixa a marca....

wwwlocupletado.wordpress.com

Daniel Leite disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Groo Veiga disse...

Ah, mas que sensação boa é essa "ingenuidade clássica", essas palpitações todas, essa vontade do dia seguinte...

Eis o amor!

abs e belo post! Felicidades!

Jacqueline Soares disse...

Êta que declaração hein amigah?
P mim tah tudo clarooo...
E fico feliz por vc tah se encontrando de novoo..
Espero que dessa vez dê tudo mais que certo..

=]]

s2

O post tah lindo..
Palavras certas, bem colocadas..

te amooo