terça-feira, 25 de março de 2008

Há quem diga que não tem nada melhor do que está solteira.
Apesar de não ser uns dos meus estados prediletos, cheguei a passar bom tempo concordando com isso.
Eram festas todo final de semana com as amigas, ninguém pra me ligar, pra dá satisfação.
Minhas roupas curtas não eram motivos de brigas, eu estava longe das crises de ciúme.

Enfim, eu tinha descoberto como era bom está desimpedida e só de imaginar alguém me chamando de "amor" isso me causava imenso transtorno.
O tempo foi passando, um mês, 6 meses, um ano...
Continuei entregue a night, dançava todas as músicas e me atrevia em paquerar um pouco.
No dia seguinte eu não tinha ninguém, a minha única companhia eram as pernas doloridas de tanto pular pra lá e pra lá com os hits.

De inicio, isso não me incomodou, mas como não é da minha natureza, não demorou muito para eu começar a estranhar a vida que eu estava levando. Por que eu estava sozinha ?
Colocava a culpa nos homens, eles são descarados e não conseguem manter um relacionamento sério com ninguém.
A gente tem que colocar a culpa em alguém.
Não dá pra carregar a cruz sozinha.
Eu dizia que os caras não queria nada, mas eu também não.
E rejeitava qualquer um que ousasse se aproximar.

Como toda ação traz uma reação, hoje o que me resta é viver das conveniências que sobraram, da covardia de não arriscar com o desconhecido.
O que sobrou foram apenas desejos em descobrir a delícia de assistir um filme juntinho de alguém num dia chuvoso, dormir juntinho, fazer cafuné, a troca de segredos, ter alguém pra cuidar, pra fazer planos, uma mão pra me segurar, alguém pra confiar. O que me restou foi viver sem um amor, na espera de alguém que caiba nos meus sonhos.

4 comentários:

Wander Veroni disse...

Todo mundo passa por essa fase da solterice...hehehe...tenho certeza q em breve vc vai achar a tampa da sua penela. Não se preocupe!

Excelente semana pra vc!

Bjs,

=]

Fê Probst disse...

Como toda ação traz uma reação, hoje o que me resta é viver das conveniências que sobraram, da covardia de não arriscar com o desconhecido

É quando a gente menos espera que o inesperado acontece ;)

blog disse...

As mulheres solteiras sabem mais da vida do que as mulheres casadas (ou comprometidas). Do contrário, também seriam casadas.

Pode apostar.
Não lamente: divirta-se!

Tom disse...

A vida é feita de fases, o importante é saber aproveitar bem cada uma delas.

Beijos!

www.indicacao.wordpress.com