segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

. a felicidade do outro não é igual a sua .

"...ela faz isso porque não é feliz, ela não é feliz."
( frase de uma amiga, referindo-se a uma terceira pessoa.)

Por vários dias essa frase martelou minha cabeça e ainda penso nisso. Como assim, como outra pessoa olhando a vida de alguém de longe sabe que ela não é feliz? Que atributos o outro precisa ter pra ser reconhecido como portador da felicidade? Felicidade é ter um namorado, é a mesa farta de planos bem feitos, concluídos?

É infeliz quem cura carência com um ficante, affair e nada mais? Quem é feliz? Aquele que nunca teve filhos pra esquentar a cabeça ou quem tem uma família enorme? Felicidade é sair todo final de semana pra baladas, restaurantes caros e programas de 'gente bonita'? É não precisar pedir permissão a ninguém pra desfrutar dos seus desejos internos? É quem mora sozinho ou quem tem um colo quente em casa? Depende, depende é do ponto de vista de quem vive determinada situação, de quem desenha sua vida. O protagonista do caminho é quem pode afirmar o quanto de felicidade ou não ele carrega em si.

É cruel demais olhar a vida do outro da margem e julgar, desdenhar a vida alheia, julgar alguém amargo porque a imagem não te convenceu. O que me faz feliz, pode não te fazer. O que me satisfaz, pra você pode ser veneno. É assim que acontece. Cada um é feliz com o que pode ou quer. Não existem regras universais pra tá de bem com a vida, cada um tem sua regra individual. Cada qual sorrir com o punhado de sentimento que lhe cabe.

Se ganha mais quando perde-se essa observação tola do outro, uma afirmação que não acrescenta. Acredito mesmo é que quando se aponta a suposta infelicidade do outro, é que tudo começa a soar meio infeliz.

7 comentários:

Bruna Trindade disse...

Quase tudo é relativo. Quase tudo.
Felicidade é.

Anônimo disse...

Legal seu ponto de vista.
Particularmente concordo com isso.
Ser feliz é nossa missão.
Não importa a maneira que fazemos para alcançar a tal felicidade.

bj

Susyanne
www.eusoupublicista.blogspot.com

Paula disse...

Isso é culpa da imperfeição que nossa espécie possui. Aquela imperfeiçao sabe? De achar que ''Apenas o MEU nariz é bonito e perfeito'' E é fácil acreditar nisso! Coisas boas descem levem em nosso ego.


Nossa, fazia um tempão que não te visitava ^^

Tay disse...

Cada um tem um modo de se sentir feliz...
basta saber cm e onde,e cm kem.
bj

Carol Garcia disse...

mais agente na maioria das vezes é desse jeito, queremos julgar o que achamos que vemos :)
obrigada por voltar no meu blog ~
um beeeijo :D

Y a s h a disse...

Muitos não percebem que cada tem o que é certo para si. Que sua felicidade pode não ser a minha, mas não vai deixar nunca de ser a sua por isso. Que enquanto eu não tiver algo 'melhor' eu vou sentir felicidade com o que eu tenho, e isso não importa se o que você tem é bem maior do que o meu. Felicidade é mesmo bem relativo.

Adorei o texto, flor. :*

J. disse...

Realmente o que te faz feliz pode me tornar infeliz e vice-e-versa. Julgar um e outro é de costume humano e algumas vezes a pessoa da qual você julga feliz e realizada, não é nada disso, algumas vezes as pessoas se perdem em busca dessa tal felicidade.