sábado, 19 de junho de 2010

Do ciúme e da minha teoria. Só teoria.

Então, no ensino médio, eu inventei uma tal de teoria que parecia ser o segredo pra não sofrer mais com ciúmes, evitar brigas e toda aquela sensação incômoda que a gente sente quando o ciúme bate na nossa porta.

E disse pra uma amiga: Ó, é o seguinte, acho que aprendi algo bem maduro. Sabe? não adianta ter ciúmes, não adianta ficar cobrando, porque se o cara não for te trair nunca, é perda de tempo ficar remoendo, sofrendo, mas se ele for te trair com alguma dessas sirigaitas que dão em cima dele, vai acontecer você tendo ou não ciúme. Então, pra quê desgastar? Pra quê ralar coração no chão? E ela concordou que realmente era  algo bem pra frente, evoluído. Acho esse discurso muito lindo, mas ficou, até hoje, somente na teoria.

Porque sou, de fato, uma pessoa ciumenta. E que na prática tem todas as neuras, e nem é de desconfiança, é ciume puro, líquido e bem quente. E mais? Sofro algumas vezes pra caramba com esse sentimento. Vivo inventando essas teorias evoluídas que eu nunca sigo, mas que ficam me dizendo: tá vendo? deveria ser como você pensa, mas não faz. Por que diabos não faz?

E eu sei. Não faço porque eu sou pura emoção. Sou mulher apaixonada que perde as estribeiras interna. Que tem medo, que chora, faz cena e depois se arrepende. E sempre, sempre esquece a teoria quando é pra colocá-la em prática. Ciúme é um bicho feio, um troço desconcertante. Um pequeno vacilo, e ele tá lá, martelando seu coração, sua espinha dorsal, seu cérebro, você inteira.



Ps: mas, ó, uma dia eu consigo ser a mulher que coloca a sua teoria na prática. ah, se consigo.
 

9 comentários:

Daniel Abreu disse...

Com um namoradão desses, daquele tipo sonho de consumo, você se pergunta: Também, como não ter ciúmes.

:D

.Intense. disse...

Tenho a sensação que esse é um assunto que te esquenta as entranhas - e isso não me faz alguém mais sensível (ou sensitiva) que a grande maioria: é só q vc já escreveu várias vezes sobre o assunto.


Sou ciumenta, visceral. Descobri há pouco tempo que, meu maior ciúme, é das coisas materiais - as coisas que etiqueto de 'minhas'. Das pessoas, aham, tb sei dessa teoria - e sei que não funciona. Consegui usar e funcionou algumas vezes a de esperar - 10, 20, 30 segundos, minutos, que seja, o importante é que passa. Ao menos a necessidade do xilique básico passa. Não é melhor qdo a gente fala com calma, explica, expõe e...é compreendido, respeitado? ;)

Mas nem sempre funciona - isso é algo mto nosso. Nosso, de essência - e essência não muda nunca. Se não der pra mudar, acostumar, aperfeiçoar....o jeito vai ser acostumar. E, pela graça do comentário daqui de cima - e pensando que ele deve ser quem mais sofre com teu ciúme incontrolável,rs - tem quem se acostume, sim. E, além disso, te ama.

;)


Se aceite, Bam. Não tente ser outra, mas o melhor que vc pode ser sendo vc mesma. Logo logo, todo esse ciúme vai ser canalizado e utilizado de uma forma mto melhor...

;)

Naraiana Costa disse...

Foi impossível não rir com o comentário de Dan.

Jacqueline Soares disse...

~'. Nem se acha elee aii em cima neh??
kkkkkkkkkkk
É amigaaa, ciúmes eh umaa pesteee na vidaaa da gente.
=p
Até de mim, ja teve ciúmes... eu lembro...kkkkk
Já percebeeeu meuu novo post neh?
Tenho certeza que entendeu também.
É a vida, e espero que finalmente essa fase passe!
te amo...
muiitas saudades!
Beeeijoss

fernanda possatto disse...

Oi Vanessa
Acho que todo mulher é assim, mas com o tempo a gente aprende a se controlar voce vai ver.
Eu quando me casei sofri horrores, pois meu marido era da mãe e do filho que já tinha, eu tinha que lutar para não deixar transparecer algo que me consumia.
Com o tempo as coisas foram se solidificando de tal maneira que isso não me incomoda mais.
e quanto as piriguetes, não adianta elas vão sempre existir, temos que sempre pensar que quando se tem não se perde.
beijocas

*Maluh Mah* Marinha Luiza disse...

Blog muuuuito show!
Estou seguindo...
;*

paula disse...

ai, Vanessa...

sempre achei meio besta essa história de ciúme, coisa de gente insegura, que não acredita no próprio cacife, sabe?
mas eu era casada e achava que tudo ia muito bem no meu casamento até que, em um dia, ao jantar no shopping o meu hoje EX- marido, disse que queria um tempo porque não estava feliz.
meu mundo sumiu, nós demos o tempo que ele quis, voltamos, aí quem quis o tempo fui eu e resolvi que não dava mais e, com tudo isso aprendi que o ciúme, em dose certa, é essencial.
confiava tanto no meu ex que não cobrava nenhuma atitude, deixava ele livre e com isso ele não se sentia um felizardo: ele se sentia não amado...
aprender a controlar o ciúme. talvez seja essa a sua próxima teoria! mas tente sim, fazer funcionar!!
=)

Nathalia Olegario disse...

adorei sua teoria,sera que ela me ajuda??
sou uma pessoa muito ciumenta tambem,principalmente com o meu namorado,com uma menina da sala dele que chama juliana ja falei com ela mas de 3vezes,e tipo não adiantou nada!
Hoje mesmo ela pego e coloco a mão dela na cara dele e puxou como se ela fosse beijar ele,quando eu vi,quanse vuei no pesquoço dela!
cou tentar segui sua teoria vou ver se me ajuda se me ajuda eu te aviso,mesmo não ajudando eu maei sua teoria!*-*

Anônimo disse...

Eu sei. Esse post é de 2010. Mas a minha dor é de 2013... Minha noiva tem passado por mudanças, está mais magra, mais bonita, sai toda arrumada. Esta ligada em grifes e espelha-se em outras mulheres feministas e de "da moda". Tenho crises cada vez mais fortes de ciúmes. Por outro lado, ela continua carinhosa, fico sempre na casa dela, mas tenho um sentimento latejante que algo está errado. Tento conversar com ela, ela se irrita (como toda pessoa que tem um namorado ciumento). E para completar, acabei de ficar desempregado... Pois é... Ser homem e ciumento é uma humilhação...