sexta-feira, 28 de novembro de 2008

De uma aproximação.

Vem e deixa que nos chamem de impulsivos.
Chega mais perto. Chega pra descobrir o calor das nossas mãos, rir dos nossos devaneios, cantar no meu ouvido, abraçar, me deixar sem defesa com seu olhar. Chega pra ler minhas cartas que serão suas, meus segredos que serão teus. Chega pra tomar o nosso porre prometido, tomar posse daquela noite que se aproxima. Vem para regar as flores, sentir o que é nosso.

Venha pra deixar meu coração sossegado, entrar no compasso dos nossos passos. Porque sem você, eu estaria andando por aí com o coração ameaçado ao vazio, ao frio. Com você, é um doar sem exigências, sem ir além do que cada um pode dá. Você me coloca junto a você, me traz, me puxa, e não precisa de muito sentido não, fico confortada ao ouvir as coisas que se tornaram mais bonitas por estarem no tom da sua voz.

5 comentários:

Daniel Abreu disse...

Não me chame não viu?
Não me chame não que eu vou...

...ou já estou, parece que a tanto, mas não muito.

=)

Jéssica disse...

Tá apaixonaaaaaaadaaaaa! Que liiiiiindo *-*

Adooooro ver que duas pessoas que eu relativamente "conheço" se gostam tanto =DD Me deixa feliz mesmo sabendo que eu não tenho nada a ver hahaha ;P

;***! Parabééns ;D

.Intense. disse...

Opa. Esse coments desse moço aqui me deixou pensando coisas.

[huhuhu...será será?]


adoro. engraçado que lembrei daquela música...'tu vens, tu vens...eu já escuto os teus sinais...'

=p

Van, tou por aqui, morri não, viu...e obrigada, pelas visitas sempre, mesmo quando eu sumo...

bjo intenso!
;*

Caféína disse...

tO A FIM DE UM ASSIM TB...RSRSRS

Jana disse...

Coisa mais linda esse texto. So'o amor... ne?