terça-feira, 9 de dezembro de 2008

. De uma sede



Sou daquele tipo de pessoa que costuma deixar o peito aberto. Desconfio que permito me atirarem o que querem pra absorver tudo, ficar com as coisas boas e dispensar o inútil, descartável.
Faço um exercício, deixo o medo chegar, mas ele vai embora. Não se prende a mim, não fica. A insegurança é uma invenção da razão que, ainda pouca, me faz parte. Respiro uma, duas vezes tentando conter impulsos, em vão. A racionalidade foge constante, sou das emoções.

O resultado é uma cara ralada com frequência, tapas que deixam vermelhões. Sem mesmo ensaiar, entro em cena. Caio, desabo, não disfarço, não me oriento com o passado.
E sou assim, cheias de marcas. Quem consegue me ler, ver todas. Elas vão comigo, não mexo, não cutuco e elas silenciam pra me deixar seguir.
Porque eu sempre preciso transbordar outros sorrisos, frios na barriga, cometer novos erros, sentir arrepios, olhares novos em folha. Preciso de outros tapas, outras quedas pra levantar mais firme. Porque, até então, todas, todas as dores foram suportáveis e as alegrias cintilantes e únicas.
.

Tenho sede por sensações, sejam elas quais forem.

5 comentários:

' Montreal. disse...

"O resultado é uma cara ralada com frequência, tapas que deixam vermelhões. Antes de ensaiar, entro em cena. Caio, desabo, não disfarço,"

preço que se paga pra um enorme resultado,
cintilantes.. unicos..
a cada lenvatada mais firmeza..

saber manejar do seu jeito é dificil
talvez..
mas válido, bem válido!

abraço Nêssa! :)

Y a s h a disse...

E aquilo que não nos mata, nos faz mais forte.
Fato.

Lindo o texto Vanessa, me vestiu completamente, tanto que me deixou sem palavras pra comentar.

beijo, flor. E não cutuca mesmo essas feridas, deixa que elas sarem.

Jéssica Trabuco disse...

Muito valem os arranhões... sinal que estamos vivendo!
E por mais doloroso que as vezes seja, é assim que tem que ser.
No final, lembrarás de como tudo serviu para o seu crescimento, e que tudo ajudou você a ser a pessoa de hoje!
Amei o texto e o blog! =)

Caféína disse...

foda é qdo vc lembra demias dos tapas!!

Daniel Abreu disse...

Essa qualidade em algumas pessoas é louvável, mas em você.

Preciso admitir, você fica irresistível quando está otimista!