sábado, 17 de janeiro de 2009

Tantas em uma.


Uma só vida e tantos caminhos.

É que esses dias andei pensando assim. Pensando que precisaria de, no mínimo, umas 7 vidas pra viver tudo. Sou uma e quero muitas, muitos. Uma só alma, um só corpo, tantos caminhos, tantas curvas, tantas escolhas. E a gente lá na frente pode se tornar tanta coisa. Hoje eu não sou o que imaginei, mas sou quem eu quis ser. E eu tenho mil personagens ainda pra escolher, tantos 'eus' dentro de um só. E eu fiquei a pensar, a pensar nessa de que a vida vai levando, te transformando. Daqui a não muito tempo eu posso ser marketeira, jornalista advogada. Posso casar ano que vem, posso nunca casar. Posso arrumar minhas malas e decidi ir embora pra outro estado, ir embora pra uma cidadezinha. Posso nunca deixar de morar na minha cidade. Posso ser escritora, dona de casa, enfermeira, vereadora. Posso ter um filho, dois filhos. Posso não ter nenhum. Posso fazer minha poupança e me mandar pra fora. Ir pra Itália e não voltar nunca mais. Posso. Eu posso ser tanta coisa. E como escolher uma ou duas em meio a tantas possibilidades ? Eu sou de muitas. Não nasci pra uma coisa só, tenho cada dia mais certeza. E lá na frente eu posso ser promoter ou arqueóloga. Ser professora de um jardim de infância. Posso me tornar frustrada. Posso ser perua, básica. Posso ser mulher liberal ou conservadora. Me casar com um cara mais novo, com um cara mais velho. Posso ter um amor pra via toda, posso ter vários amores em uma vida toda. Posso mudar de amigos, conservar os velhos e colecionar os novos. Posso ir morar no campo. Posso morar em uma casa, em um apartamento ou até mesmo num barco. Posso abrir meu próprio negócio ou passar o resto da vida trabalhando pra alguém [ alguns]. Posso ficar louca, posso ficar pobre, ficar milionária. Posso amar e não ser amada. Ser amada e não amar. Posso viver no sossego, na agitação. Posso ser isso, posso ser aquilo. E o que eu vou ser ? O que vou escolher? O que a vida me reserva? Porque certos acontecimentos parecem pré-destinados, que você não pode violar, alterar ou fazer algo parecido. O resto, o resto é escolha. Dessas eu tenho medo. Quantos caminhos eu farei em uma única vida?

Tantas possibilidades e um só corpo.

5 comentários:

Daniel Abreu disse...

Tão crescidinha e não sabe nem o que quer.

=X

Jéssica disse...

Acho que todo mundo se sente assim, e vai dizer isso para os pré vestibulandos?

Quando se tem tantas possibilidades e só duas mãos para agarrá-las, bem.. vai com calma. O tempo decide tudo :D

;***

Dom disse...

As inúmeras possibilidades de trilhas a seguir antes encanta do que amedronta. Ter a possibilidade de (des)construir a vida é algo eminentemente humano, contrário ao instinto dos animais, à limitação das máquinas.

Como não errar? O foco são as pessoas, os amores, a família, os amigos - essas infindáveis fontes de compreensão, apoio e incentivo.

Daniel Abreu disse...

O segredo estar justamente nisso: Como fazer tudo isso numa vida só.

oO'

.Intense. disse...

Muita opção pra nós que somos apenas uma (ou duas, no meu caso, ahauhauhauha). O fim da faculdade abriu um buraco negro sob meus pés, Van, e te falo: é a quantidade de possibilidades que me exaspera.

Deixei um meme pra vc. Não tenho certeza se vc não fez ainda, mas em todo caso... ;)

Bjo intenso, boa semana pra nós.