domingo, 8 de novembro de 2009

. Das expectativas .

Nessa semana começam dias decisivos pra mim. De expectativas. Sempre sofri com expectativas, com as que criava, muito mais com as que as pessoas criavam pra mim. E agora tou assim de novo. Medo de não corresponder quem acredita em mim. Medo do caramba de não conseguir ser o que pensam que vou ser. Sei lá, dá nervoso, medo, ansiedade. Mas sabe o que tou aprendendo e acho que é coisa de gente grande? A expectativa tem que ser minha. Do tipo: Eu vou ser o quer? O que eu quiser, oras.

Se eu penso em fazer jornalismo, pouco me interessa quem esperava que eu fosse tentar enfermagem, direito. Pouco me interessa se eu quero marketing, e quase ninguém sabe ao menos como se chama um graduado na área. É assim que quero, perder o medo de que as pessoas me amem menos porque eu não fui, nem fiz aquilo que elas acreditavam que faria. Até porque, se amar menos, é porque não tem que tá aqui na minha vida, não veio pra preencher. Quem mais ama, aceita as escolhas, mesmo que discorde. Essa maneira de pensar é tão madura, mas o processo é tão doloroso.

É preciso olhar pra mim, ter coragem de me enxergar e coragem de assumir quem sou, independente de alguém, independente dos sonhos que fizeram pra mim e não perguntaram se eram meus também. Tou tentando, tentando ser, fazer o que acredito. E daqui em diante, o medo de não corresponder as expectativas vai ser de mim para comigo mesma. Obrigada.

3 comentários:

Daniel Abreu disse...

Eu já te amo pelo que você já é.

Qualquer porta que escolha a partir daqui, já não muda nada. A essência é a mesma.

=]

Camila Alves disse...

Você já é amada e admirada por esse jeitinho mesmo que és...O resto?É apenas complemento para o seu crescimento!

Te amo..

=**

Y a s h a disse...

Sabe flor, é exatamente por esses medos que não gosto que ponham expectativas em mim, que confiem demais no que eu posso ser. Tenho medo de "eu sei que você consegue". Tenho medo de "é claro que vai dar certo". Tenho medo de excessos de expectativas. Gosto da minha expectativa, da minha confiança, aqui, guardada só comigo, porque eu sei aceitar minhas mudanças e meus possíveis 'fracassos', eu sei recomeçar, mas não gosto de decepcionar. E, se pensarmos bem, as feridas são nossas, e a decepção vai ser nossa, então as expectativas têm que ser sim, de você para você mesma, de mim para comigo mesma.

Você bateu no meu ponto fraco, estive pensando muito nisso esses dias. E também cheguei a conclusão que "...se amar menos, é porque não tem que tá aqui na minha vida, não veio pra preencher. Quem mais ama, aceita as escolhas, mesmo que discorde." Até por que não existe copo meio cheio ou meio vazio.

:*