domingo, 23 de maio de 2010

do passado e presente.

Esse final de semana eu resolvi arrumar as coisas no quarto, limpar, retirar coisas que não estavam no seu devido lugar, papéis, e nisso eu descobri todo um passado meu, um passado bem quieto, que há muito tempo não trazia ao presente. Cds com canções guardadas, canções que marcaram momentos da minha vida, que hoje nem mais faz parte do meu media player, como Red hot chili peppers que eu colocava pra dormir, canções que um amigo me enviava, e estava aqui, me lembrando de cenas. Reli agendas contando detalhes de determinada época. Relatos bons de ler, relatos de me cortar o coração, outros de embrulhar o estômago, surpreender, achar absurdo. Cartas de amigos que eu nem sei mais por onde anda e prometia companheirismo eterno, fotos de amores que foram avassaladores e hoje só ocupa o lugar das lembranças. O medo, as dúvidas pertubadoras que atualmente são pequenas e por hora, cómicas.

Fiquei extasiada de ver todas essas coisas, muitas que eu nem lembrava mais. Muitas que me deixaram feliz, outras que me deixaram triste, arrependida. No final de tudo, senti que amo muito mais quem eu sou hoje, o que faço hoje e como é minha vida. E tudo isso me afirmou mais uma vez que o passado a gente não muda e podemos viver bem com ele, deixando ele lá atrás, no lugar que pertence.

De alguma maneira, o passado se liberta da gente ou nos libertamos dele, não sei. Só sei que existe essa coisa de transformação, que a cada dia nos apresenta coisas novas e uma maneira diferente de continuar, olhar e gostar. Caso contrário, a gente pode mudar.


Um comentário:

Naraiana Costa disse...

ô bammm, adoro encontrar essas coisas. Na verdade, tenho a caixa da lembrança. Toda vez que abro é uma viaaaagem. Direto do túnel do tempo.