terça-feira, 2 de novembro de 2010

Pelo direito de sentir.


Dedicado em especial à Intense

Pra mim, isso é intenso, pra você eu não sei. Eu ainda vou ficar magoada com as feridas que muitas pessoas deixam na gente gratuitamente por mais que mil pessoas digam que foi bobagem, que não chegou a fazer arranhão. Talvez eu não entenda o que é intenso pra você, mas vou respeitar o direito que seu coração tem de sentir isso.

Porque cada um sabe o que seu coração diz. Porque só eu sei o que meu coração diz. Só eu sei o que me faz perder a linha, a palpitação diferente que surge quando meu coração tá alegre, triste. Somente eu consigo medir a agonia de ter a mão formigando toda vez que algo me deixa com medo. Só eu sei dos meus fantasmas quando eu deito a cabeça no travesseiro. Meus piores fantasmas são secretos, conto pra ninguém e queria muitas vezes que eles não falassem comigo. Sei sozinha das minhas maiores vontades, meus maiores sonhos, dos meus maiores arrependimentos, da dor que sinto com meus erros.

E só luto pelo direito de escolher o que vai ser intenso pra mim... mesmo que isso não seja nada pra você.




3 comentários:

Jacqueline Soares disse...

~'. Muiiito perfeito..
Só nós sabemos as alegrias e tristezas ocultas em nosso interior.
Ninguém deveria julgar o que seria bom ou ruim, o que nos faria sofrer ou que nos faria alegres, quando nós dizemos o contrário.
O que importa, é que seja tudo pra vocÊ!

Colombina disse...

Pelo direito de sentir. Proteste.
Levanto também essa bandeira, os outros já interferem demais nos nossos dias.


;*

Ana Carolina Polo disse...

Que texto INTENSO... Eu realmente senti as suas palavras.