quinta-feira, 26 de junho de 2008

E pude perdoar.

"...é fácil culpar os outros mas a vida não precisa de juízes.
A questão é sermos razoáveis."
(A minha gratidão é uma pessoa-Nando Reis)

Por esses dias, minha mente que não me deixa sossegada por muito tempo, resolveu absorver tudo sobre perdão. Me trouxe as lembranças de todas aquelas pessoas a quem concedi isso, todas as que de certa forma ainda assim deixou uma certa mágoa. Todas que um dia me perdoaram.

Há uns meses beeeem atrás, eu me vi na seguinte situação: Precisava perdoar.

Sempre acreditei que as pessoas merecem uma segunda chance. Todas. Sem exceção de alguma quando de fato se arrependem.

Mas na prática, percebi que não é tão simples assim. Esquecer a dor que o outro lhe causou pode ser uma verdadeira luta.

E assim também foi comigo. Nunca deixei o ódio petrificar dentro de mim, mas as raivas, todas elas florescem e as exponho, só assim consigo libertá-las. E foi o que fiz, ou pelo menos tentei fazer. Deixei a raiva passar e fiquei tendo uma relação aparentemento sólida com a pessoa.Teoricamente tudo estava resolvido entre eu e ela, porém não foi assim.

Eu julgava ter perdoado, mas a confiança não existia, as lembranças ruins não saiam, eu pensava muitas vezes se ela era merecia as minhas desculpas ou não. Tava difícil aquilo.

O que eu fiz ? Abandonei aquele vínculo, larguei a relação de mão, não conseguia viver bem com aquela criatura. Me afastei sem maiores explicações.

A impressão que eu tinha era que aquela dor seria maior que qualquer coisa que ainda poderia surgir entre nós. Sofri horrores com aquela mágoa, pois apesar de tudo eu a amava. Quando não aguentava mais de aperto no peito, resolvi trabalhar esse perdão e não foi fácil.

Pedi muita iluminação, discernimento e alívio para meu coração. Fiz um trabalho doloroso comigo, mas foi válido.

Passei a entender que o perdão também é uma forma de amor, tentei aceitar que o sentimento por aquela pessoa era muito maior do que a dor que eu levava comigo.

Tentei deixar as recordações ruins de lado, viver numa boa e, depois de muita luta comigo mesma, consegui. Consegui realmente perdoar.

Aprendi que perdoar não é esquecer os desentendimentos, as brincadeiras que fizeram com seu coração.
Perdoar é aprender, é crescer com cada ferida que plantaram e resolver arrancar a raiz que tanto te machuca, é lembrar dos acontecimentos sem mágoa. E se for melhor pra você, melhor não lembrar mesmo.


Já tomo venenos díarios com a sociedade, então, dispenso o rancor e ódio que não me fazem crescer e muito menos me torna uma pessoa melhor.



PS:Bom lembrar, não sou santa. Aprendi a perdoar, mas não bata repetidas vezes na minha face, eu não vou lhe oferecer a outra.







15 comentários:

Cin disse...

Acho que qdo o tema é "Perdão" seremos eternos aprendizes...
Bjinhos!

Jéssica disse...

Acho o perdão um dos maiores valores que alguém possa ter. Como você mesma disse, não é só 'esquecer o que foi feito', mas tem todo um sentimento e significado por trás.


Adoro aquiiiii!

.Intense. disse...

Eu não aprendi. Talvez aprenda daqui pra frente. Talvez aprenda um dia. Talvez isso tenha feito toda diferença. Talvez, se perdoado, não precisasse levar o outro tapa, sem nem mesmo ter oferecido a face (foda...). Eu não sei. Não tenho como voltar pra saber. Não sei se quero voltar pra saber. Na verdade, não, não quero. Mas quero aprender. Pra libertar o coração da Intense, da dor que sempre vai sangrar, enquanto não cicatrizar.

Seus posts me ensinam tanto, Van. Vc não faz idéia.

;*

Maldito disse...

Perdão se pede,...ou se conquista?

Bjs
Inté

.Ná. disse...

Perdoar não é para os fracos, mas para os fortes. Conseguir isso é muito difícil, mas acredito que o tempo possa trazer essa capacidade pra gente. Pra falar a verdade, não guardo mágoa de mais ninguém me fez mal... só o tempo pode mostrar o caminho.
Beijos

Nathália disse...

Eu só perdôo uma vez.
Se fez algo que me machucou mas eu percebi arrependimento, volto atrás e perdôo mesmo.
Mas se fizer de novo, cara... Nem chegue perto de mim.
Sou extremamente ácida quando quero.

Beijo!

Layz Costa disse...

Passei por isso ontem, acredite. É muito difícil a gente perdoar. Eu não guardo mágoas, mas tem coisas que machucam a gente de verdade, quanto mais amor a gente tiver pela pessoa mais dói e é mais difícil de perdoar. O tempo passa e no meu caso, eu perdoei porque não gosto de ver NINGUÉM sofrer por minha causa, principalmente se eu posso aliviar a dor desse alguém, por mim, tudo certo.
Eu só perdou se eu tiver realmente ciente do que tô fazendo, senão não é mais virtude, não é o perdão genuíno.
A sensação de perdoar é ÍMPAR, faz um bem danado tanto pra gente quanto pra outra pessoa.
beeijo e já te adicionei também!
=*

Ana Barros disse...

Perdoar é muito difícil. Temos que nos despir de nossas vaidades, do nosso orgulho e deixar o ego de lado. Exige muita humildade, mas resulta numa paz de espírito enorme...

TOOP disse...

Perdoar faz bem... nos deixa mais leves.
;)

Daniel Abreu disse...

Perdoe-me não ter comentado aqui antes.

=]

Nanita disse...

Com o tempo também aprendi a perdoar, mas perdoar de coração nao da boca pra fora. Gostei muito do texto :*

Fláh disse...

"Queria, no fundo, ser outra, com outro disfarce, outras vestes, outras palavras, outra alma para, assim, chegar devagar, tocar o ombro e pedir perdão"

Pedir perdão é dificil e necessita de coragem mesmo.

Luciene disse...

É bom perdoar quando se sabe que aquela pessoa se sente realmente arrependida por aquilo que fez.
"Que é perdoado esquece, quem perdoa lembra."

Y a s h a disse...

Lindo texto, Vane...
Também sempre achei que as pessoas merecem uma segunda chance, e sempre procurei dar essa chance. Mas quando se trata de você tudo se torna mais complicado.
Há um tempo atrás eu também passei por uma prova de fogo dessas... Sempre fui de escutar bastante antes de falar, de não esquecer e de guardar muita coisa pra mim, boa ou ruim. E isso com o passar do tempo se torna insuportável de carregar. Falei bastante, e muita coisa pra tentar manter aquela amizade, mas quando falta a confiança o sentimento muda por completo. E de 24h por dia juntas de uma amizade de infância mesmo, passamos a 10 minutos ao mês, só com o forçado 'oi, tudo bem?'...
Eu sofri bastante, e hoje eu ainda sinto muita saudade, e sei que do outro lado já ta muita coisa esquecida, ela sempre soube encarar as coisas mais firme do que eu.
Pelo que eu ainda sinto, saudade com uma pitada de raiva e 10 gotas de arrependimento por ter evitado dizer tantas coisas, eu não sei se existiu realmente o perdão.
Mas continua do mesmo jeito, e quem sabe se eu não tentar um trabalho doloroso comigo, também não vai ser tão válido quanto o seu.

beijos, flor. :*

Dani disse...

Perdoar é difícil, é uma das coisas que tento exercitar em mim sempre.
Lindo texto =)